Saturday, January 06, 2007

Recordações - parte 2



Acabada a sobremesa, ela queria foda. Mas já não sabia como pedir. Ela estava tímida. Fica sempre tímida... Mas ele também queria fodinha. Pressentiu o cheiro no ar. Puxou-lhe o braço e disse:
“- Anda cá...”.
...e ela foi. Sentou-se no seu colinho e sentiu o seu caralho já meio duro. Ela fodeu-lhe a boca com a língua. A sua boca sabia a vinho...hum, sabia tão bem. Ela roçava-se toda nele, e o seu pau ficava cada vez mais teso. Ele também lhe fodia a boca e começou a desapertar-lhe o vestido. Desfez o único nó que o prendia e percorreu todo o seu corpo com as suas mãos que tão bem sabiam explorar um corpo que pedia sexo.
Ele levantou-a e sentou-a na cadeira. Beijando-a, retirou-lhe por completo o vestido e as cuequinhas pretas. Abriu-lhe as pernas e começou a tocar na sua ratinha. Logo, logo ela sentiu a sua língua a acariciar a sua coninha, que escorria prazer.
Mas, de repente, ele vai buscar alguma coisa à mesa. Ela não percebe o quê?!
Afinal ele ainda não estava saciado. Começa a barrar a coninha dela com o restante do topping de morangos. Como lhe soube bem o fresquinho na sua coninha a arder. Hum, e como ele se deliciou a comer a sua rata, a olhar para os olhos dela, a sentir o seu tesão. Ela derreteu-se toda na sua boca. Com o seu pé, procurava o seu caralho. Estava agora muito rijo e ela não resistiu. Foi para o chão, para ao pé dele. Puxou-lhe as calças e enfiou o seu caralho na boca. Ela gostava mesmo de o ter na boca, ainda mais molhada ficava. Levantou o seu amor e encostou-o à parede e continuou a mamar no seu pau, mas a sua coninha também o queria...

2 comments:

Mente Masculina said...

Aiai, como queriamos foda nessa noite...
Quem bem soube repetir a sobremesa, principalmente porque a acompanhar o maravilhoso topping de morangos tinhamos agora outras coisas... Mas o melhor ainda não fica por aqui... Continua!!!

José said...

Eu escrevo de uma maneira completamente diferente, mas admiro imenso a tua ousadia.
Textos com muita imaginação que ao mesmo tempo consegues manter um carinho e uma certa sensibilidade, o que provoca a magia.

Um beijo com sabor a salada de frutas.


José